Resgate e Reabilitação de cães – A aliança que pode salvar vidas

Há muitos anos vejo muitas, pequenas e grandes organizações lutando para resgatar cães abandonados. Esse grupo tem, desde indivíduos que tomam esse trabalho para si, mudando suas vidas, até grandes grupos que se dedicam a salvar a vida de cães e encontrar novos lares para todos, porém, um dos grandes desafios acaba sendo cães com problemas de comportamento e a dificuldade de encontrar famílias que queiram acomodá-los.

Existe um grande mérito para aqueles que tem a melhor das intenções e querem ajudar, tirando cães das ruas, oferecendo cuidados médicos, e recuperando a saúde desses pequenos, mas, acho importante falarmos sobre o lado mental, e a necessidade de avaliações e treinamentos que possam condicionar esses cães para serem adotados de maneira correta.  Muitos cães resgatados vem com experiências não tão agradáveis, outros vem sem problemas, mas o fato é, todos precisam passar por uma fase de condicionamento, ajuste em ambientes domésticos, e treinos de associações para terem sucesso na adaptação nas novas famílias.

Sabemos o quanto é difícil manter grupos de cães em espera, já que as despesas são altas,  o tempo de dedicação é enorme, e a adaptação pode levar tempo, mas quero ressaltar alguns pontos que acho que podem ajudar muitas dessas organizações a terem mais sucesso nesse processo.

1.      Considere fazer campanhas em parceria com profissionais que possam avaliar esses cães e trabalhar com eles. Uma boa avaliação de cada cão pode traçar um perfil de família ideal, com mais chances de ajuste na rotina doméstica.

2.    Cães com problemas de comportamento mais intensos, devem passar por um período de reabilitação com um profissional, por isso, produza campanhas de arrecadação não apenas para comida, roupas, remédios e etc., mas considere campanhas para financiar o trabalho de um profissional também. Um bom trabalho pode deixar o cão mais preparado para uma vida doméstica, aumentando as chances de adoção.

3.    Considere um processo de adoção mais detalhado, aonde a família adotante passe por uma avaliação de perfil. Cada família tem uma característica, uma rotina, um estilo de vida, por isso, nem todos os cães serão compatíveis com todas as famílias. Isso pode evitar devoluções de cães, evitando que eles passem por experiências frustradas, precisando assim de recondicionamentos constantes.

4.    Considerem compartilhar não apenas os casos de cães, mas também um conteúdo educativo, instruindo o público adotante em potencial sobre como lidar com cães, o que fazer para adaptar um novo cão na sua rotina, e como criar um ambiente de convívio doméstico ideal. Muitas pessoas tem um grande coração e querem adotar, mas não sabem muito o que fazer com os cães, e isso, muitas vezes, acaba sendo o grande motivo pelo qual muitos cães são devolvidos ou abandonados.

5.    É importante deixar claro para as famílias adotantes que será necessário educar, instruir e orientar o cão no novo espaço. Cães resgatados ou não, sempre precisam de orientação, e não vem prontos, por isso, aproveitem as oportunidades para mostrar a realidade, e mostrem a importância da presença e participação na família nesse processo.

Parece muita coisa e sei que todas as organizações acabam não tendo tempo nem recursos para fazer tudo, por isso eu acredito que a presença de um profissional nesse processo pode ser de grande valia. Além de trabalhar com esse cães no lado comportamental, um bom profissional pode ajudar os membros da organização no aprendizado sobre cães, como conviver com matilha, como lidar com cães, como interpretar linguagem corporal e como aplicar treinos simples que podem aumentar as chances de adoção.

Mas por que campanhas de arrecadação? Como todos os outros serviços, esse trabalho tem um custo. Os profissionais vivem desse trabalho e todo tempo dedicado é tempo de serviço. Lembrem que os profissionais que trabalham com cães, estudaram, se dedicaram, tiveram muito tempo de experiência para fazerem o que fazem, por isso, devem ser pagos da mesma forma que os serviços de saúde e consumo também são. Tudo que envolve o processo de resgate e reabilitação de cães envolve custo, por isso, campanhas de arrecadação podem e devem ser feitas, sempre visando o sucesso de uma nova vida para todos os cães.

Se houver um entendimento da necessidade de cada grupo nesse processo, todos podem trabalhar juntos. No final, precisamos de todos, desde o grupo que resgata, o veterinário que cuida, a empresa de fornece remédios, comida, roupas, camas, cobertores, o profissional que trabalha o comportamento do cão, e a família que o acolhe para a vida. Somos todos parte de uma corrente que pode salvar vidas, mas se faltar um pedaço, os cães podem eventualmente pagar o preço.