"Place": porque a prática desse simples exercício muda o jogo no comportamento canino

Pra quem acompanha meus vídeos, sabe que, constantemente, eu falo desse exercício; o "place". Mas afinal, o que é esse exercício, e porque ele faz tanta diferença no comportamento dos cães? 

A palavra "place" em inglês significa lugar, e esse exercício, nada mais é do que ensinar seu cão a ficar no seu lugar, deitado, por um período de tempo mais longo, sem engajar com os elementos ao seu redor, como pessoas, outros animais, coisas do ambiente etc. Essa prática é como um momento de meditação, de relaxamento, que condiciona os cães a controlar os impulsos naturais como curiosidade, vontade de pular, de correr, de engajar e de brincar. Ao invés de agir em cima de cada um desses impulsos, o cão deve permanecer no seu espaço, de forma calma e tranquila. 

Esse exercício, quando posto em prática de forma consistente, cria um novo estado mental diante de diversos cenários, proporcionando ao cão uma sensação de tranquilidade maior, especialmente em cenários sociais urbanos. Mas como começar essa prática e garantir que o cão vai ficar no lugar? Esse é momento aonde devemos deixar bem claro o que é certo, motivando a posição e sua duração, e corrigir o que é errado, ou seja, as tentativas de quebrar o comando. 

Como fazer a introdução? O primeiro passo é ter o cão na guia, já que esse é um exercício que limita os movimentos e devemos ter a habilidade de intervir e redirecionar o cão quando necessário. Tenha um elemento motivador com você durante a fase inicial, como parte da comida do dia. A comida serve como um marcador, e só deve ser oferecida quando o cão estiver na posição correta no espaço correto. O momento de "pagar" também é crucial. Lembre que cada pagamento ou grão de ração serve para marcar o que é certo, então tomem cuidado para não oferecer na hora errada. Na fase inicial o cão não vai saber muito bem o que você quer dele, por isso direcione-o para o "place" com a guia, induza a posição, pague, remova ele do lugar e comece novamente. 

Veja um bom exemplo no vídeo a seguir; o vídeo é em inglês mas serve como referência para vocês entenderem melhor o conceito inicial. Nesse vídeo ela introduz o exercício com a e-collar, guia e coleira, mas a dinâmica do exercício é a mesma. 

Uma vez que o cão começa a entender melhor o conceito do exercício, está na hora de entrar na fase de duração e correção, introduzindo distrações aos poucos. Se você tem dois os mais cães, trabalhe com um de cada vez, criando uma boa fundação com cada um separadamente, para que ambos possam ter uma noção clara do exercício antes de praticarem juntos. 

Veja aqui um exemplo na prática com 2 cães, aonde 1 deve ficar no "place"e o outro na caixa de transporte aberta. Nesse vídeo vocês podem ver um caso real aonde erros são cometidos e como devemos lidar com esses cenários com paciência e consistência. 

Cada cão tem suas características individuais e vocês podem ver desafios diferentes entre cada um deles. Não se desencoraje. Todos chegam lá. Alguns precisam de mais práticas, mais paciência e orientação, mas se você for consistente na prática, o resultado final será fantástico. 

Nesse próximo vídeo temos um exemplo dessa introdução apenas com uma guia unificada com um cão não muito motivado por comida. Nessa horas seu papel é apenas estar ali, com uma boa energia, e manter o cão no lugar. O objetivo final é ver o cão se render e relaxar, isso é a grande recompensa. 

O que queremos alcançar é um estado mental de redenção aonde o cão consigo replicar em qualquer ambiente, e o grande segredo dessa transição é saber advogar pelo seu cão nesse espaço. Isso significa não permitir que pessoas ou cães venham integrar com seu cão enquanto ele está no exercício. Isso garante que seu cão vai confiar em você para garantir a segurança dele, em qualquer lugar. Afinal não seria justo pedir toda essa tolerância do seu cão se você não consegue controlar o que acontece ao redor dele. Lembre, seu cão não deve ser o entretenimento de pessoas estranhas ou outros cães. Ele é seu companheiro e conta com você para sua proteção. 

Veja aqui o resultado final numa situação de mundo real urbano, e veja como essa prática só promove a inclusão dos cães na sua vida.

Educar é amar de verdade. Liderança é assumir o papel de proteção. Disciplina e respeito são a base de toda sociedade harmônica. Faça sua parte, ensine seu cão. Só assim ele vai se torna seu real companheiro de vida.