Os 4 quadrantes de condicionamento operante para cães

Recentemente eu fiz um vídeo falando sobre as definições de punição positiva e punição negativa nos treinos, e hoje quero falar mais a fundo sobre essas definições e como elas se encaixam nos 4 quadrantes de condicionamento operante para cães.

Existem várias pessoas que falam sobre estudos científicos sobre o comportamento dos cães, mas nem sempre se fala o contexto completo desses estudos. Hoje vou apresentar para vocês o real resultado dessa teoria e como podemos coloca-la na prática na nossa vida com cães.

Os 4 quadrantes são:

1.      Reforço Positivo

2.    Reforço Negativo

3.    Punição Positiva

4.    Punição Negativa

Esses quatro elementos definem como seu cão aprende, e como ele faz opções baseadas em consequências. Sem o esclarecimento sobre qualquer um dos quatro elementos, veremos treinos mais confusos, com cães fazendo as opções erradas, pois não há orientação. Vamos ver como cada um deles funciona;

Reforço Positivo: Boas coisas acontecem, logo aumentamos a motivação do cão para fazer o exercício ou comando solicitado. Exemplo: Usar a comida como motivação para ensinar o cão a sentar.

Reforço Negativo: Boas coisas param de acontecer, logo, diminuímos a motivação do cão para fazer o exercício ou comando solicitado. Exemplo: O cão não completa o comando, logo não ganha a comida.

Punição Positiva: Coisas ruins acontecem, logo, aumentamos a motivação do cão em interromper o comportamento indesejado. Exemplo: Correção na guia quando o cão pula nas pessoas.

Punição Negativa: Coisas ruins param de acontecer, logo, diminuímos a motivação do cão em interromper o comportamento indesejado. Exemplo: A correção na guia é interrompida e o cão volta a pular nas pessoas. Também conhecido como ignorar o comportamento negativo e esperar que o cão pare de pular na pessoa sem nenhuma orientação.

Os cães aprendem por associação, e não necessariamente por palavras, já que não entendem nosso idioma, por isso, a grande chave da modificação comportamental está na forma como usamos esses quadrantes para criar associações positivas e negativas para nossos cães, a fim de criamos o comportamento ideal.

Nos treinos de obediência, na primeira fase de direção (ou seja, quando o cão ainda não conhece o exercício ou atividade), é sempre bom usar o reforço positivo para motivar o cão a aprender novos comandos, como sentar, deitar, ficar e voltar quando é chamado. Nessa fase, é possível usar o reforço negativo em ambientes sem distrações, já que o cão vai estar mais atendo ao que você tem para oferecer e não vai ter distrações mais atraentes, sendo possível assim o efeito do reforço negativo. Para a maioria dos cães eu indico usar a comida do dia, já que dessa forma o cão trabalha pela alimentação e aprende ao mesmo tempo.

Na fase de duração e distração, ou seja, quando o cão já sabe o que fazer e está trabalhando no tempo de execução em casa e em ambientes sociais, é importante colocar em prática a punição positiva, assim o cão vai entender com clareza qual a consequência enfrentada por não seguir as orientações definidas por você. Ele vai aprender a fazer a opção correta, que é seguir as suas regras. Isso não é uma coisa ruim, pelo contrário, isso é a forma mais justa de ensinar, já que é assim que os cães aprendem.

Na fase de modificação comportamental, aonde é preciso mudar hábitos como; pular nas pessoas, latir para campainha, pessoas ou outros cães, subir em mesas para pegar comida, avançar em pessoas ou outros cães e etc., é essencial o uso da punição positiva, já que o cão já tem o hábito criado, e precisa de uma consequência de valor para começar a fazer uma nova associação e optar por não repetir mais o comportamento.

Existem várias formas de aplicar a punição positiva; você pode usar a guia, a coleira eletrônica, o seu corpo, a sua voz ou as suas mãos. Tudo depende do cão em questão e da intensidade do comportamento negativo. Punição positiva não é bater, punição negativa é uma consequência real necessária que faz parte da vida de todas as espécies animais, e serve pra orientar e mostrar o caminho certo. Sem ela, os cães não tem como saber quais são os limites, e até aonde eles podem levar a intensidade do comportamento negativo.

A punição negativa, também conhecida como ignorar o que o cão faz de errado, só é útil na fase de direção, quando o cão está aprendendo alguma coisa nova (que não inclui modificação comportamental), é só tem resultado efetivo se usada junto com o reforço positivo na fase de aprendizado. Esse método não tem valor real em casos de modificação comportamental, já que hábitos ruins só são quebrados quando é inserida uma consequência de valor, que é a punição positiva.

Em resumo, os 4 quadrantes mostram que existe uma necessidade real de mostrar aos cães o que queremos, mas de uma forma que fique clara para eles. Nós humanos temos a responsabilidade de criar essa comunicação clara, sempre motivando o que queremos, e criando consequências para o que não queremos, criando assim bons hábitos que vão fazer do cão um companheiro que realmente te entende.